Buscar
  • Carlos Alberto Dória

O pomar

Ao contrário da provisoriedade da horta, o pomar mostra a perenidade da ocupação da terra. Basta pensar no tempo que leva uma mangueira para crescer e frutificar. A coleção de variedades de manga (borbon, espada, coração de boi, carlotinha...) denuncia a persistência em se construir, atrás da casa, um pedaço do Jardim do Éden.


E também os pés de nêspera, de tamarindo; as variedades de mexerica; de laranja; e a lima-da-pérsia, a lima de bico, o limão galego, o siciliano; as pinhas, as jabuticabeiras, o pé de abiu, o cambucá, as goiabeiras, o cajá-manga; a macieira, ainda que mirrada; os pessegueiros, a pereira, o marmeleiro, as abóboras e melancias espalhadas pelo chão.


Alguma fruta, sempre.


O pomar era o orgulho do sitiante, chacareiro ou fazendeiro, tanto quanto o seus cavalos ou o rebanho de bois bem cuidados, sem berne. O pomar enraizava o proprietário na terra. Podia, ainda, esconder o que devia ser discreto: relações amorosas furtivas; ou o abate silencioso do cabrito de Natal, pendurado num galho firme de mangueira enquanto lhe tiravam a pele.


O pomar mostrava o quanto se estava ali para ficar. E quando os sitiantes se tornam assalariados nas fazendas de café, o pomar começa a minguar. Nenhum caboclo iria perder tempo plantando uma mangueira que provavelmente não veria frutificar, já que poderia ser expulso pelo patrão a qualquer hora, no calor de uma desavença qualquer. Aos poucos, foi se plantando o deserto das frutas por onde o café avançou. E de dentro do sitiante, feito caboclo, saltou o Jeca Tatú.


As frutas do pomar se transformaram em “lavoura” a abastecer os supermercados. A genética “melhorou” as frutas e as mangas passaram a existir o ano todo com gosto uniforme; os japoneses fizeram as hortas e as grandes companhias começaram a produzir polpas e sucos em embalagens industriais. Exportar se tornou solução.


O pomar mostrou a fragilidade do Éden e tudo o que era doce se acabou.


Carlos Alberto Dória

@cadoria

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo