Buscar
  • Carlos Alberto Dória

O ovo

Visto da granja, os ovos estão sempre lá. Há galinhas que põem mais de 365 ovos por ano. O ovo caipira não. Primeiro precisa do “nindês”.


O “nindês” (contração de “ninho deles”) é o lugar onde a galinha põe, sempre ao lado de um ovo velho, deixado lá para ela saber onde não ficar derramando ovos por ai. Se o ovo do dia não está lá é porque o lagarto teiú comeu, ou o gambá, ou a galinha está entrando no choco, ou velha pra botar, ou ainda porque o menino falhou e deixou o lagarto levar vantagem.


O não-ovo tem sempre uma causa. E pode significar o não-bolo de tarde, aquela vontade adiada para o dia seguinte, quando a mãe pode não querer fazer bolo. Melhor então pegar o ovo bem cedinho, antes do sol esquentar e o lagarto ter também os seus desejos de ovo.


O ovo na mão é uma vitória da estratégia do nindês. Não há ovo caipira de verdade sem estratégia. Nem pintinhos, pois o ovo para chocar tem que ser colecionado, à espera de uma galinha ou perua choca. A continuidade da vida depende de estratégias em torno do ovo.


Carlos Alberto Dória

@cadoria

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo